Desenvolvimento Emocional.png

Emily Esfahani Smith, autora de The Power of Meaning

Disponível em https://www.centreforoptimism.com/Optimism-and-Resilience

O desenvolvimento emocional é um construto onde estão inseridos vários processos intrapessoais e interpessoais relacionados à aquisição de competências fundamentais para se estabelecer um padrão comportamental com forte potencial de realizações positivas voltadas para o bem-estar e florescimento na vida das pessoas e do planeta.

Um conjunto de habilidades, aprendidas e aprendíveis, são essenciais no aprimoramento dessas competências e estão relacionadas à capacidade que as pessoas têm de identificar e gerir seus próprios sentimentos, ser capaz de motivar a si mesmo e de construir relacionamentos saudáveis. Essas habilidades devem ser expressas através de ações e narrativas positivas, serem utilizadas em quaisquer situações e manterem-se ativas ao longo do curso de sua vida.

Daniel Goleman, psicólogo, escritor, PhD da Universidade de Harvard, considerado o “pai da Inteligência Emocional”, divide com Peter Salovey a formulação da teoria da inteligência emocional: “A Peter Salovey, de Yale, devo o conceito de ‘inteligência emocional’” (Goleman, 2011, p.363).

Conceitualmente Goleman define a inteligência emocional como sendo a “...habilidade para reconhecer o significado das emoções e suas inter-relações, assim como raciocinar e resolver problemas baseados nelas. A inteligência emocional está envolvida na capacidade de perceber emoções, assimilá-las com base nos sentimentos, avaliá-las e gerenciá-las” (Mayer, Caruso & Salovey, 2000, p. 267).

Goleman divide o conceito de Inteligência emocional em quatro domínios: Autoconsciência, Autogestão, Consciência Social e Gestão de Relacionamentos. No Programa de Desenvolvimento Emocional, elaborado pelo Instituto ISA, esses domínios são considerados habilidades aprendidas e aprendíveis e a elas foram acrescentadas mais duas habilidades igualmente essenciais: Autoestima e Tomada de Decisão Responsável. Essas habilidades são apresentadas em três domínios: “Intrapessoal”, “Interpessoal” e “Intra e Interpessoal”.

domínio intrapessoal

A autoconsciência, autorregulação e autoestima são habilidades de natureza intrapessoal. A primeira é a capacidade de refletir sobre si mesmo e de reconhecer as suas emoções, a segunda, originada da primeira, é a capacidade da pessoa gerir a si própria e a terceira corresponde a capacidade de pensar positivamente sobre si mesma.

autoconsciência

Autoconsciência é a capacidade de se ver com clareza e objetividade por meio da reflexão e da introspecção. Envolve a consciência que temos dos nossos próprios pensamentos, sentimentos, emoções e valores e como eles influenciam nosso comportamento em diferentes contextos. Goleman destaca a autoconsciência como sendo um componente crucial da inteligência emocional. O desenvolvimento dessa habilidade possibilita ao cliente potencializar sua capacidade de conhecer suas emoções e os efeitos que produz em seu corpo, além de reconhecer seus próprios sentimentos.

autogestão - Regulação emocional

É a capacidade de exercer controle sobre si mesmo para atingir objetivos ou cumprir normas. Isso inclui a capacidade de adiar a gratificação, administrar o estresse e sentir motivação para realizar objetivos pessoais e coletivos. Ana Paula Noronha, PUCRS, aponta que diferentes circunstâncias e eventos cotidianos requerem que as pessoas consigam se autogerir, sendo que cada situação, a depender do contexto, exigirá estratégias distintas.

A autogestão permite que você regule seus sentimentos, pensamentos e ações. Quando você se sente sobrecarregado, essa força o ajuda a redirecionar suas emoções de maneira saudável. Mesmo quando os outros reagem fortemente, você mantém seu equilíbrio e compostura. Você não é provocado facilmente e sabe manter a calma (Rashid & Seligman, 2019). Através desse domino o cliente adquire a capacidade de gerenciar a si mesmo. Ao lidar assertivamente com as emoções e os sentimentos delas resultantes o cliente adquire forte potencial para promover a resiliência e fortalecer os relacionamentos.

autoestima

Autoestima é o senso do valor pessoal de uma pessoa. Em outras palavras, representa um aspecto avaliativo do autoconceito e consiste num conjunto de pensamentos e sentimentos referentes a si mesmo. Envolve uma variedade de crenças a respeito de si próprio. Uma autoestima está associada com saúde mental, habilidades sociais e bem-estar.

Na teoria das necessidades básicas de Maslow, figura 2, a autoestima é considerada como uma das motivações básicas. Maslow sugeriu que as pessoas precisam tanto da estima de outras pessoas quanto de sua estima interior. Ambas as necessidades devem ser satisfeitas para que elas se desenvolvam e alcancem a autorrealização.

A autoestima cresce à medida que cultivamos nossa autoimagem, vencemos nossos medos e controlamos nossas ansiedades e impulsividade. Agindo dessa forma ampliamos nossa capacidade de lidar com os problemas, superamos nossas adversidades e resistimos à pressão de situações estressantes e aprendemos com nossas próprias experiências. No contexto da terapia sexual a baixa autoestima está entre os fatores que prejudicam a vida afetiva e sexual dos casais e atua como reforçador à estímulos aversivos, desencadeadores e/ou agravadores das disfunções sexuais.

domínio interpessoal

A consciência social e a gestão de relacionamentos são habilidades de natureza interpessoal e estão relacionadas com as interações com as outras pessoas, cuja base é o conceito de empatia, isto é, a capacidade que nós devemos ter em compreender os sentimentos dos outros e poder nos colocar no lugar deles.

consciência social

Consciência social é a capacidade de conhecer e sentir compaixão pelas pessoas ao seu redor e possuir a habilidade de interagir com elas da maneira mais eficiente e adequada. Desenvolver níveis mais elevados de consciência social significa ser capaz de lidar adequadamente com os problemas sociais e interpessoais. Uma consciência social desenvolvida abre as portas para a construção de relacionamentos positivos.

gestão de Relacionamentos

Conexões positivas, úteis e inspiradoras levam a emoções mais positivas, permitindo que nos sintamos ouvidos, vistos e apoiados. Desenvolver habilidades de estabelecer e manter relacionamentos saudáveis inclui a capacidade de se comunicar com clareza, ouvir atentamente e negociar conflitos. Apoiar e oferecer ajuda sem expectativas, compartilhar boas notícias ou comemorar o sucesso promove o fortalecimento dos relacionamentos.

domínio intra e interpessoal

A tomada de decisão responsável é uma habilidade de natureza intra e interpessoal e está relacionada à criação de habilidades capazes de levar a escolhas construtivas sobre o comportamento pessoal e nas interações com as outras pessoas, nas diversas situações e contextos sociais.

tomada de decisão responsável

Tomar decisões responsáveis corresponde a capacidade de fazer escolhas construtivas sobre o comportamento pessoal e nas interações sociais com base em padrões éticos, questões de segurança e normas sociais. Essencialmente, todos os aspectos de uma decisão potencial e suas consequências devem ser considerados antes que uma escolha seja feita. Para fazer escolhas responsáveis é necessário avaliar a situação, analisar suas opções e considerar as prováveis consequências de cada uma dessas opções para si próprio e para os outros.