Terapia Sexual Positiva – Um novo olhar sobre a Sexualidade

Atualizado: 18 de jan.

Tempo de leitura: 12 minutos

Terapia Sexual Positiva

Considerando que o ser humano é essencialmente social, quanto mais positivas e construtivas forem suas relações, mais positivas serão suas emoções, pensamentos e sentimentos. Quanto mais positiva for a intimidade e conexão sexual no relacionamento afetivo, maior a saúde sexual do casal. Dentro de uma perspectiva holística, a Terapia Sexual Positiva considera que a saúde sexual engloba dimensões emocionais, psicológicas, físicas, intelectuais e espirituais.


Segundo a OMS, a saúde sexual deve ser entendida como um estado de bem-estar físico, emocional, mental e social em relação à sexualidade. Não é meramente a ausência de doença, disfunção ou enfermidade.


A saúde sexual requer uma abordagem positiva e respeitosa da sexualidade e das relações sexuais. Igualmente pressupõe a possibilidade de ter experiências sexuais prazerosas e seguras, livres de coerção, discriminação e violência.


Neste artigo, exploraremos como a terapia sexual positiva atua no atendimento das disfunções e inadequações sexuais. Também veremos como ela pode ajudar o cliente a reconhecer o que está certo, forte e bom em sua vida. Por fim veremos como podemos usar o que há de melhor em nós para nos proteger contra transtornos, bloqueios e processos disfuncionais.


Este artigo contém:


O que é Terapia Sexual Da Terapia Sexual à Terapia Sexual Positiva Terapia Sexual Positiva Uma mensagem para levar para casa

 

O que é a Terapia Sexual?

No Brasil, a prática da terapia sexual não é regulamentada, ou seja, não possui curso de graduação ou conselho regulamentador da profissão. Portanto, as características de sua formação são independentes e de caráter multiprofissional. Os terapeutas sexuais são especializados em nível de pós-graduação Lato Sensu por instituição credenciada pelo MEC.


Acontece que, ao utilizar conhecimentos científicos, filosóficos e culturais relacionados a outras áreas profissionais, a terapia sexual acabou sendo equivocadamente considerada como área de atuação da medicina ou da psicologia em algum momento. No entanto, a terapia sexual não se limita a uma atividade dessa ou daquela área. Constitui atividade autônoma e independente, podendo o profissional ser terapeuta sexual, mesmo que não seja médico ou psicólogo.


Portanto, ao procurar por terapia sexual, peça ao profissional a credencial da sua especialização na área da sexualidade humana. Você pode encontrar terapeutas sexuais licenciados em sua localidade. Entre outros, o site da ABRASEX – Associação Brasileira dos Profissionais de Saúde, Educação e Terapia Sexual é uma opção segura.


Terapia Sexual Clássica


Em sua conceituação clássica, o foco da terapia sexual estava centrado na concepção biológica do sexo. A ideia era a do ser humano estar fisiologicamente programado para o sexo. Então, ao corrigir os aspectos fisiológicos associados ao processo disfuncional, o sexo transcorreria naturalmente. Assim considerando, o objetivo era reverter o processo disfuncional ou desviante e, dessa forma, criar um estado de adequação pessoal (Cavalcanti & Cavalcanti, 2019).


Para ilustrar essa ideia do predomínio biológico do sexo, Leonore Tiefer, em 2010, realizou uma apresentação na Conferência de Sexualidade de Guelph, no Canadá, levantando a seguinte questão: O sexo é mais como uma dança ou como a digestão?


Ela argumentou que a digestão é um processo impulsionado pela biologia e que problemas com a digestão leva as pessoas a procurarem atendimento médico. Por outro lado, a dança é influenciada pela cultura, dinâmica relacional e preferências pessoais. Em resumo, a mensagem que ela deixou foi a de que o modelo médico tradicional da terapia sexual clássica trata o sexo como a digestão, quando na realidade deveria ser tratado como dança.


Terapia Sexual Moderna


Segundo Cavalcanti e Cavalcanti (2019), a terapia sexual moderna é mais abrangente por considerar os aspectos intrapessoais, interpessoais e culturais intrínsecos ao processo disfuncional. Apesar de considerar que a resposta sexual tem sua base biológica essencial, a terapia sexual moderna não limita o processo terapêutico à superação do problema sexual. Além disso, ela não cuida apenas da pessoa que tem a dificuldade, mas também, das consequências que essa dificuldade gera no parceiro sexual.


Esses autores enfatizam que “ao deslocar a atenção terapêutica do ‘problema’ sexual para o campo da inadequação, a terapia sexual moderna deixou de ser apenas um tratamento de disfunções, passando a promover tanto a adequação intra quanto a interpessoal”. Consideram também que a conduta sexual envolve uma dinâmica de comunicação a respeito das questões sexuais.


Assim, ao elaborar o planejamento terapêutico, o terapeuta sexual deve considerar que esses fatores podem gerar expectativas ou proibições sobre a experiência do prazer sexual, assim como ser influenciador e/ou agravador dos processos disfuncionais.


Da Terapia Sexual à Terapia Sexual Positiva


Apesar dos avanços conquistados na área da sexualidade humana ao longo das últimas décadas, falar sobre sexo ainda é um tema cercado de receios e preconceitos. Michel Foucault, filósofo francês contemporâneo, em seu livro Histoire de la Sexualité I: La Volonté de savoir, 1976, dizia que:


“Nossa sexualidade, por oposição à dos outros, está submetida a um regime de repressão tão intensa que o perigo, agora, está nisso; não somente o sexo é um segredo temível, como não cansaram de dizer às gerações precedentes, os diretores espirituais, os moralistas, os pedagogos e os médicos, não somente é preciso desencavar sua verdade, mas, se ele carrega consigo tantos perigos, é porque — por escrúpulo, senso aguçado do pecado ou hipocrisia, como quiserem — o reduzimos a silêncio por tempo demais” (Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque, edição brasileira de mesmo nome).


Por certo temos ainda muito a desenvolver neste campo. É necessário compreender a partir de uma perspectiva mais ampla como o pleno desenvolvimento da sexualidade permite que pessoas e casais prosperem. Ocorre que a maioria das abordagens sobre a sexualidade limitam-se às questões sexuais e/ou visam compreender os riscos potenciais e os aspectos negativos do sexo.

A Psicologia Positiva na prática da Terapia Sexual


Disponibiliza recursos importantes ao cultivo de emoções positivas. Permite a amplificação de forças, bem como facilita o estímulo à construção de relacionamentos positivos. Além disso favorece a busca por objetivos intrinsicamente motivadores, preenchendo assim a lacuna atualmente existente na abordagem terapêutica acerca dos aspectos positivos essenciais ao pleno desenvolvimento da sexualidade. Favorece mudanças pessoais que permitem relações íntimas saudáveis e harmoniosas, além de promover o bem-estar, em vez de se restringir a uma simples eliminação de fatores focais indesejados (Cavalcanti & Cavalcanti, 2019).


Tópicos como infecções sexualmente transmissíveis, gravidez precoce, assédio, violência sexual e os processos disfuncionais são concebidos com a mesma ênfase que era aplicada na terapia clássica e acabam, naturalmente, sendo os norteadores dos trabalhos terapêuticos na atualidade.

Terapia Sexual Positiva – TSP


Um dos componentes mais importantes na prática da terapia sexual é o entendimento mais amplo que o terapeuta precisa ter sobre a interação dos fatores psicológicos, biológicos e sociais na problemática sexual. Saber abordar e avaliar as questões emocionais desencadeadoras e/ou agravadoras dos processos disfuncionais é preponderante na prática da terapia sexual, além de constituir um facilitador na dinâmica do trabalho multidisciplinar quando o caso assim o requerer.

Fator igualmente de fundamental importância para a terapia sexual é a temática sobre a sexualidade. É necessário desmitificar as ideias preconcebidas e assim desconstruir os padrões limitadores em torno das questões sexuais, que são em grande parte, responsáveis pelas desarmonias conjugais.


Somente dessa forma será possível abrirmos caminho para um entendimento mais amplo sobre emoções e comportamentos positivos que possibilite as pessoas encontrar a realização e o bem-estar pessoal e satisfação na relação conjugal. Nessa linha de entendimento, Diener e Selegman (2002), consideram o pressuposto de que um relacionamento saudável e harmonioso é componente vital da saúde física e bem-estar psicológico.


O conceito de sexualidade, assim como a definição de saúde sexual e saúde mental a ela vinculadas, apresentados pela Organização Mundial da Saúde – OMS, permite entender a sexualidade como um aspecto inerente ao ser humano, que se rege no complexo contexto biopsicossocial e a perceber a saúde sexual como sendo um estado de bem-estar físico, emocional, mental e social em relação à sexualidade.


Por fim, a aplicação da psicologia positiva na prática da terapia sexual igualmente beneficia o terapeuta por favorecer seu próprio desenvolvimento na conquista do bem-estar. Além disso lhe permite aproveitar suas forças, habilidades, talentos e competências para atingir objetivos que lhe proporcione um sentimento profundo de satisfação e realização.


Norteadores da TSP


A TSP dispõe de recursos importantes ao cultivo de emoções positivas. Permite a amplificação de forças e virtudes, bem como favorece a busca por objetivos intrinsicamente motivadores. Preenchendo a lacuna atualmente existente na abordagem terapêutica relativa aos aspectos positivos essenciais ao pleno desenvolvimento da sexualidade.


Tais recursos favorecem mudanças intra e interpessoais que permitirão relações conjugais positivas, saudáveis e harmoniosas, além de promover o bem-estar, não se restringindo à simples eliminação de fatores focais indesejados.


Claro que essas são demandas importantes que devem estar inseridas no contexto da terapia sexual. No entanto, deve-se dedicar mais atenção à compreensão da sexualidade por uma perspectiva verdadeiramente positiva, subjacente a comportamentos e resultados importantes relacionados à saúde sexual.


A TSP é uma abordagem terapêutica baseada nos princípios norteadores da Psicologia Positiva. Seu objetivo é ampliar o escopo do processo terapêutico da Terapia Sexual Moderna através da inserção dos elementos que norteiam os conceitos de sexualidade, saúde sexual e saúde mental, apresentados pela OMS.


Sua proposta terapêutica visa ajudar as pessoas a desenvolver habilidades e aprender competências concretas, pessoalmente relevantes e aplicáveis no dia a dia. Da mesma forma favorece o melhor uso dos seus potenciais para que se produzam vidas engajadas, satisfatórias e significativas e a construir relacionamentos harmoniosos.


A estruturação técnica comprovada cientificamente dos recursos da psicologia positiva, proporciona ao terapeuta acesso ao conhecimento técnico conhecido até o presente. De forma abrangente e prática, permite associar as técnicas da psicologia positiva às técnicas da terapia sexual moderna no tratamento das disfunções e inadequações sexuais.


O ponto central na utilização dessas técnicas é abrir espaço para o cliente entender o uso das competências positivas como proteção contra os processos disfuncionais e se conscientizar que as respostas que busca estão dentro dele. A pessoa é especialista em si mesma, o terapeuta apenas a orienta.


Uma mensagem para levar para casa


Ao se aplicar os conceitos de sexualidade humana, saúde sexual e saúde mental e física, apresentados pela OMS, assim os considerando aspectos inerentes ao ser humano, em seu contexto biopsicossocial, a Terapia Sexual Positiva está consolidando uma abordagem terapêutica emergente amplamente baseada nos princípios da Psicologia Positiva.


O que se pretende com a perspectiva da psicologia positiva é justamente oferecer um horizonte para que as características breve e focal da Terapia Sexual possam ser reconhecidas e utilizadas tanto pelos clientes, seja em sua prática de vida individual e no contexto de seu relacionamento afetivo, quanto pelos terapeutas, que terão ampliadas suas potencialidades através dos fundamentos da Psicologia Positiva e, dessa forma, contribuir para o desenvolvimento pleno da sexualidade e para o bem-estar como um todo.


Terapia Sexual Positiva inclui encorajar o cliente a reconhecer o que está certo, forte e bom em sua vida e usar o que há de melhor nele para protegê-lo contra transtornos, bloqueios e processos disfuncionais. Seu foco não é unicamente onde as coisas estão disfuncionais e distorcidas, mas também onde as coisas estão indo bem. É oferecer bases para que o cliente possa encontrar oportunidades para criar mudanças positivas em sua forma de sentir, pensar e agir de modo que possa, por meio da valorização da saúde e bem-estar, mudar a maneira de como vivenciar a vida.


Referência:

Cavalcanti, R., & Cavalcanti, M. (2019). Tratamento clínico da inadequações sexuais (5a ed.). São Paulo: Paya.

Foucault, M. (1976). Histoire de la Sexualité I: La Volonté de Savoir. Paris: Gallimard.

Tiefer, L. (2010, junho). O sexo é mais como a dança ou a digestão? Apresentação na Conferência de Sexualidade de Guelph, Ontário, Canadá. PDF obtido em https://www.semanticscholar.org/paper/From-Risk-to-Pleasure%3A-Toward-a-Positiv e -Psy chology-Swami/151a153199c713d80d08d9e85c00f06aaae169e8

OMS – Organização Mundial da Saúde

#Disfunçãosexual #PsicologiaPositiva #SexualidadeHumana #TerapiaSexual

2 visualizações

> Serviços > Blog

Contato num click

WhatsApp.png

Blog do Instituto ISA