Linguagens do Amor

Contato num click

WhatsApp.png

onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina, há falta de amor. Um é a sombra do outro.
(Carl Gustav Jung)

A maioria de nós cresce falando a linguagem padrão do nosso país. Essa é a nossa linguagem primária, aquela que utilizamos para nos expressar. Com o tempo podemos aprender outro idioma, que seria uma linguagem secundárias. Porém, em geral falamos e entendemos melhor nossa linguagem primária.

Português vs chinês

Quanto mais usarmos essa segunda linguagem, mais confortável nos sentiremos em nos expressar através dela. Ocorre que se falarmos somente nossa linguagem primária (português) e encontrarmos uma pessoa que também fala apenas sua linguagem primária, se diferente da nossa – chinês, por exemplo, o diálogo será limitado. Isso é razoável, não é?

Linguagem do Amor_edited.jpg

É a mesma coisa no relacionamento amoroso. A linguagem emocional do amor das pessoas pode ser tão diferente quanto o idioma chinês é do português. Assim, se quisermos comunicar nosso amor de forma efetiva, devemos estar dispostos a aprender a primeira linguagem do amor de nosso par.

É bem difícil o casal ter a mesma linguagem emocional de amor. Como é nossa tendência falarmos a nossa linguagem do amor primária, ficarmos confusos quando nosso par não entende o que estamos querendo comunicar. Essa é a origem de muitos problemas no relacionamento.

E mesmo que ambos tenham a mesma linguagem primária, muitas vezes o entendimento pode não ser fácil porque a linguagem emocional do amor traz consigo toda uma carga de sentimentos construídos ao longo da nossa vida. Por isso a vida a dois requer o exercício da empatia. O caminho da empatia passa pelo aperfeiçoamento da assertividade nos gestos, atitudes e palavras.

Ao identificar e aprender a falar a linguagem do amor primária um do outro, o casal consegue estabelecer uma comunicação assertiva que manterá o casamento harmonioso, dentro de um relacionamento empolgante.

Ocorre que essa não é uma tarefa fácil. É preciso querer fazer e acima de tudo gostar do que está fazendo. Isso tem muito a ver com o doar-se e estabelecer um vínculo de carinho, admiração, respeito e comprometimento. Assim sendo, o casal passa a fazer as coisas um em função do outro, como no início de qualquer relacionamento.

O conceito de linguagens do amor foi desenvolvido por Gary Chapman e apresentado em seu livro, do original em inglês, “The five love languages”. Não se trata, portanto, de uma técnica ou abordagem terapêutica específica, destinada a recuperar um casamento em conflito. Conhecer as linguagens do amor é uma dinâmica conjugal importante que favorece ao casal conhecer com clareza a linguagem emocional própria e de seu par.

Sob o mesmo ponto de vista, temos que atitudes positivas são baseadas em escolhas e não nos sentimentos. Portanto, a aplicação da linguagem certa do amor oferece a possibilidade de que seu relacionamento amoroso torne-se saudável e realizado. Falar regularmente a linguagem do amor do outro desenvolve no casal uma melhor compreensão das necessidade um do outro e igualmente apoiar o crescimento um do outro.

 

Numa visão geral de cada uma das cinco linguagens do amor que Chapman descreve temos: 

palavras de afirmação

As ações falam mais alto do que as palavras - a menos, é claro, que a linguagem do amor de seu par seja "palavras de afirmação". Nesse caso, as palavras são tudo. Quer sejam faladas ou escritas, uma pessoa cuja linguagem de amor primária são palavras de afirmação dará muita importância ao que você tem a dizer a ela.

Assim, ao expressar o compromisso de amor, é importante considerar que elogios verbais, pedidos ao invés de ordens e palavras de apreciação e encorajamento, afirmam a autoestima, além de criar intimidade, curar feridas e permitir a livre manifestação dos sentimentos, desejos e anseios. Vale lembrar que palavras de encorajamento requer empatia, que nos leva a enxergar o mundo segundo a perspectiva do outro.

As pessoas que possuem palavras de afirmação como principal linguagem do amor, se sentem encorajadas ao ouvir palavras de incentivo e ânimo. Em contrapartida, essas pessoas possuem maior dificuldade em lidar com críticas, pois as palavras (supostamente de crítica) trazem um grande mal-estar e desânimo. Portanto, a prática da assertividade torna-se ferramenta de fundamental importância nesse aspecto.

tempo de qualidade

Todo casal precisa de um tempo de qualidade junto para que o relacionamento cresça e se desenvolva. Mas o que acontece quando a linguagem do amor de um dos parceiros é tempo de qualidade? Como esse desejo de passar um tempo juntos afeta o relacionamento, especialmente quando vidas agitadas atrapalham?

Tempo de qualidade significa dedicação total. É aquele que gira em torno da união. É tudo uma questão de expressar seu amor e afeto com toda a sua atenção. Ou seja, fazer coisas juntos e conceder atenção total a quem está conosco. A atividade com a qual o casal está envolvido é secundária, sendo apenas um veículo que proporciona o sentimento da interação. A importância é emocional e refere-se à atenção total que concedemos e recebemos.

Infelizmente, frente à tecnologia, o tempo de qualidade entre um casal está se tornando cada vez mais escasso. Mesmo próximos, um ou ambos estão em outro lugar - geralmente no ciberespaço ou mergulhados em seus próprios pensamentos. Estar perto um do outro enquanto fazem outra coisa nem sempre constitui tempo de qualidade, não importa quanto tempo dure. E para alguém cuja principal linguagem de amor é tempo de qualidade, essa falta de conexão pode fazer com que se sintam vazios e sozinhos.

Quando você está com seu par, você desliga o celular, desliga a TV e se concentra nele. E, quando você faz isso, toca o coração dele de uma forma que realmente importa. Ele se sente importante, amado e especial - como se você tivesse tido a intenção de reservar um tempo apenas para ele.

Assim como as palavras de afirmação, a linguagem da “Qualidade de Tempo” também possui suas formas de se expressar, sendo uma das mais importantes a da conversa de qualidade, e aqui entra o exercício da assertividade nas palavras. Quando a gente fala de “Qualidade de Tempo”, além da conversa de qualidade, devemos estar conscientes da atenção integral ao outro. O aspecto central do tempo de qualidade é do casal estar sempre junto e isso não significa simples proximidade.

presentes

Abordar os relacionamentos da perspectiva da linguagem do amor é realmente produtivo. Ao aprender como 'falar' a linguagem do amor um do outro, ambos estarão se sentindo apoiados e vistos dentro do relacionamento.

Um presente é algo que você pode segurar em suas mãos e dizer: “Ele pensou em mim!” ou, “Ela se lembrou de mim!” porque antes de comprarmos um presente para alguém, pensamos naquela pessoa e o objeto em si - o presente - deve ser um símbolo desse pensamento. Mas não é somente a intenção em nível da mente que conta. O pensamento demonstrado de forma concreta, através de um presente, é que se torna uma expressão de amor.

Atos de serviços

Esta linguagem do amor é para pessoas que acreditam que as ações falam mais alto do que as palavras. Ela tem muito a ver com gentileza, cordialidade, prestatividade, ter a iniciativa de (fazer, servir, oferecer, perceber a necessidade do outro e antecipar-se).

Mesmo que esta não seja sua linguagem do amor ou a do seu par, quanto maior for a conexão existente entre o casal, mais espontâneos serão os atos que superam as expectativas. Está será uma linguagem presente em todas as ocasiões, a se expressar através da energia do amor.

toque físico

Sexo é um aspecto importante de um relacionamento romântico, mas o toque físico como uma linguagem do amor não tem a ver apenas com sexo. O toque físico é um poderoso veículo de comunicação para transmitir o amor conjugal. O ato instintivo do toque físico nos faz sentir amados e protegidos e isso vem de berço. Como agimos diante de um bebê? Quando vemos algo que muito nos agrada, nossa reação primeira é a de querer tocar, e por que isso acontece?

O toque é um impulso natural que nos possibilita a troca de energia. Vejam que a sexualidade é energia que motiva encontrar o amor, contato e intimidade e se expressa na forma do sentir, no movimento das pessoas e como elas tocam e são tocadas. Portanto andar de mãos dadas, beijar, abraçar, acariciar e manter relações sexuais são formas bem interessantes de se comunicar o amor emocional entre o casal.

Porém é importante saber que a maioria dos problemas sexuais no casamento pouco tem a ver com técnicas ou toques físicos. Os problemas sexuais no relacionamento estão mais vinculados à carência no suprimento das necessidades emocionais de cada um. Por isso a grande importância de conhecer a linguagem do amor própria e a do seu par, para que o casal possa, como diz o ditado popular, “Falar a mesma linguagem”.

um recado importante

As linguagens do amor apresentadas por Chapman não representam características imutáveis e inerentes à personalidade de cada um. Pelo contrário, são habilidades aprendidas e aprendíveis através das quais manifestamos nossa percepção ao dar e receber amor. A comunicação emocional através da “linguagem do amor”, desperta sentimentos de pertencimento e sensação de bem-estar mútuo do casal.  Esses fatores fortalecem a relação conjugal.

Você não precisa falar a mesma linguagem do amor do seu par para ter um relacionamento duradouro e gratificante. O que ambos precisam é saber como comunicar suas necessidades, sejam elas quais forem. A comunicação é um componente-chave de todo relacionamento saudável. E é especialmente importante o casal desenvolver uma linguagem do amor própria que expresse verdadeiramente o amor que os une.